Endometriose: O que é, Sintomas e Tratamentos

O que é?

dismenorreiaO endométrio é a membrana interna da mulher, que se renova com a menstruação, e quando essa renovação não ocorre, a endometriose pode se manifestar, e seus sintomas mais comuns são dores intensas, como cólicas, sobretudo no período menstrual e nas relações sexuais, além do que a endometriose pode causar infertilidade.

O medo da endometriose é uma realidade na vida de muitas mulheres. Muitos são os questionamentos acerca da doença, dentre eles, se existem tratamentos novos, se portadores da doença podem engravidar, e se a doença pode ocorrer de forma reincidente.

Essa é a realidade de muitas mulheres que sofrem de endometriose por todo o país, isso porque de 10 a 15% das mulheres em idade reprodutiva são portadoras da doença, o que equivale a cerca de 7 milhões de brasileiras. Além do que 50% das adolescentes que reclamam de cólicas podem estar portando a doença em sua fase inicial.

A endometriose não é uma doença transmissível, além de também ser improvável prever seu surgimento, e tal enfermidade se manifesta quando o tecido que fica dentro do útero sai da cavidade uterina e migra para várias partes do corpo. Esse tecido pode se alojar na bexiga, na região anterior do útero, no peritônio, que é um tecido que recobre os órgãos internos dentro da cavidade abdominal e, ainda, em outros lugares atípicos e de menor incidência, como no pulmão, no cérebro e no septo nasal.

Para mais informações, leia o artigo a seguir sobre o que é endometriose.

Sintomas

endometriose-sintomasAinda que milhões de brasileiras sofram com a endometriose, parte considerável delas nem mesmo sabe que tem a doença, que é uma das principais causas de infertilidade. A manifestação pode ocorrer já na adolescência, e para esses casos, a doença perdurará por muitos anos.

Há relatos de pessoas que, devido às dores intensas no ovário, sequer conseguiam mover as pernas, além de apresentarem inchaço no corpo. Diante dessa situação, tarefas simples como levantar da cama podem se tornar quase que impraticáveis. Há ainda relatos de pacientes que precisam ser levados mensalmente ao pronto socorro, a fim de receberem doses de injeções para amenização das dores.

Sintomas como inchaço abdominal decorrentes da endometriose podem ser confundidos, por exemplo, com gases. Há casos de pacientes que apresentam poucos sintomas mesmo tendo a doença em nível de desenvolvimento alarmante, enquanto que outras podem apresentar maiores sintomas mesmo tendo a doença em estágios menos severos.

Dor ao urinar ou diarreia são sintomas típicos de endometriose localizada na bexiga ou no intestino. As medidas profiláticas para esses casos são boa alimentação, sono de qualidade e exercícios físicos. Este último, além de melhorar a imunidade do organismo, produz endorfina, que tem ação redutora na produção de estrógeno no ovário, que por sua vez é um hormônio estimulante do desenvolvimento da endometriose.

Leia o artigo a seguir para saber mais sobre a dispareunia.

Tratamentos

A ingestão contínua de anticoncepcionais desacelera o desenvolvimento da doença, devido a esses medicamentos possuírem progesterona em sua composição. Cabe lembrar que esse tipo de medicamento não constitui um fator de prevenção, posto que são apenas atenuantes.

Antes de submeter a paciente a um processo cirúrgico, é recomendável fazer um exame clínico de toque vaginal. Uma cirurgia realizada sem exames adequados, poderá proporcionar apenas um efeito paliativo, visto que o médico poderá se deparar com um quadro muito mais complexo do que imaginava. Para esses casos é grande a probabilidade de que, dentro de um certo período após a cirurgia, as dores voltem a ocorrer e novos processos cirúrgicos sejam necessários.

Para aquelas que sofreram da doença uma vez, o medo de reincidência é premente. Esse medo pode ser não apenas em função da dor, mas também pelo fato dessas recorrências as submeterem novamente a um processo cirúrgico.

Há tratamentos hormonais, à base de progesterona, que geralmente são feitos após a extração do tecido afetado pela doença. Entretanto, mesmo para esses casos, não há garantias de que a endometriose não será recorrente naquela paciente.