Alimentação Ideal para Deficientes Físicos

By | August 25, 2017

Como determinar a alimentação ideal para um deficiente físico

Em se tratando de um deficiente físico, é preciso considerar três pontos importantes antes de elaborar uma alimentação ideal.

Primeiramente, deve-se averiguar as complicações nutricionais proporcionadas pela doença de base manifestada pelo indivíduo. Se ele tiver sua função mental comprometida, por exemplo, o problema afetará a deglutição dele, o que gera interferência sobre o fator nutricional.

O segundo fator corresponde ao gasto energético basal. Cabe definir se o deficiente consegue se movimentar ou apenas permanece sentado em uma cadeira de rodas. Além das fórmulas alimentares, dependendo das condições do indivíduo, é interessante e definir o real gasto energético basal.

cadeira-de-rodas-deficiente-fisico

A calorimetria indireta é um exame efetuado com o paciente em repouso. Por meio da troca gasosa é possível descobrir o gasto calórico diário. Com isso, não há como a dieta ser mal sucedida, uma vez que será definido o valor real da taxa metabólica basal e o quanto se deve trabalhar para evitar o ganho ou perda de peso.

O terceiro ponto consiste na avaliação da parte intestinal do paciente. Assim, é preciso investigar se ele tem comprometimento da parte abdominal e se pode realizar algum esforço, uma vez que ocorre uma diminuição dos movimentos peristálticos, acarretando o comprometimento de toda a parte intestinal. Logo, o indivíduo deve ter uma alimentação equilibrada, não voltada somente para o ganho de peso, mas também que evite a diminuição da função intestinal. Por esse motivo, a dieta deve ser composta por alimentos ricos em fibras, que facilitam a digestão e o fluxo intestinal.

O que comer para o bom funcionamento do intestino

Existem quatro fatores importantes para aprimorar a função intestinal: ingestão adequada de fibras, hidratação, atividade física, e a regularização da flora intestinal.

A regularização da flora intestinal ocorre mediante o aumento do consumo de lactobacilos. Logo, as pessoas devem desenvolver o hábito de ingerir leite fermentado diariamente, porém, nem sempre apenas isso é suficiente, e pode ser necessário prescrever uma combinação entre vários lactobacilos.

Linhaça, chia e farelo de aveia

Tanto a linhaça quanto a chia, o farelo de aveia e o de trigo são importantíssimos para aprimorar o funcionamento do intestino. Porém, é necessário cuidado: a partir do momento em que se tem a ingestão adequada de fibras é necessário manter uma hidratação apropriada.

A semente de linhaça deve ser triturada antes de ser consumida. Não é necessário torrá-la, mas deve-se bater em um liquidificador. O óleo da linhaça está presente no núcleo das sementes. Além disso, o organismo humano não tem a capacidade de digerir a casca que envolve esse tipo de semente. Logo, o consumo da semente em seu estado integral pode até prejudicar o intestino. Algumas pessoas deixam as sementes de linhaça na água antes de tomar o líquido. Embora o óleo também seja liberado dessa forma, a melhor oferta ainda é obtida por meio da trituração das sementes, que podem ser armazenadas na geladeira, permanecendo adequadas para o consumo em até três dias.

Bagaço das frutas

Os bagaços das frutas são importantes, pois são extremamente ricos em fibras. Recomenda-se consumir a laranja com o bagaço, evidentemente respeitando-se as condições de mastigação do bagaço por parte do deficiente físico.

Frutas secas

Com relação ao lanches intermediários, uma boa opção são as frutas secas. Elas não exigem refrigeração e são fáceis de transportar. A ameixa tem função laxativa. Pode-se, inclusive, fazer uma combinação de ameixas com uva passa e damasco. O importante é não sobrecarregar a quantidade de frutas secas, pois elas possuem elevada dosagem de açúcar (frutose).

ameixa-bom-funcionamento-do-intestino

O hábito de deixar as frutas secas “de molho” em um copo d’água e beber o líquido ajuda a melhorar o trânsito intestinal. Com isso, as fibras são transportadas das frutas para a água. A água pode ser usada para preparar chás laxativos, essencialmente quando se utiliza a ameixa.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *